Como domesticar um cachorro

Saber como domesticar um cachorro é para poucos, já que o cachorro já é um animal doméstico. A pergunta ideal seria: como adestrar um cachorro. Aí sim! Adestrar significa ensinar o cachorro, treiná-lo para seguir determinadas ordens ou deixar de fazer coisas que irritam ou possam machucar alguém. Já domesticar significa pegar um animal não doméstico e torná-lo como tal. Isso é para profissionais, não para nós. Nunca tente pegar um lobo ou onça e transformá-los em cães e gatos.

O cão não precisa ser um prodígio de inteligência, já que todo cachorro tem um mínimo de inteligência para identificar determinados comandos e saber que certas coisas não devem ser feitas. Veja a seguir algumas dicas para tornar seu animal menos bagunceiro e continuar um bichinho companheiro e feliz.

Dicas para treinar o seu cão

Nunca mais precisará ficar gritando “não pule, não pule” para o seu amigão toda vez que chegar visitas em casa. Saber como domesticar um cachorro aparentemente selvagem é complicado, mas os resultados são bons.

Toda vez que ele for pular espirre água no focinho dele – tome cuidado para não atingir dentro do focinho, podendo incomodá-lo mais do que o necessário. Cada vez que ele investir em alguém para pular e sujar a roupa das pessoas, pise na corrente, com o tempo ele verá que pular não é muito bom para ele e que as pessoas não gostam como ele imagina que devem gostar. Mas sempre tome cuidado para não machucar o seu melhor amigo.

Se seu cão late muito, saia mais com ele. Isso relaxa o bichinho. A serotonina acalma e o deixa mais sociável. Já se o problema é quando você não está em casa, comece a deixar distrações para ele, como brinquedos e objetos que prendam a atenção dele. Tudo que envolve comida agrada os cães.

Como domesticar um cachorro

Dicas de como domesticar um cachorro rebelde

Se você passa vergonha quando o seu animal começa a encoxar as visitas, aqui vai a solução mais simples: brigue com ele. Em muitos casos o cão não sabe o porquê de estar levando bronca, mas nesse caso, desde que quem brigue não seja quem foi “atacado”, ele vai entender que o que está fazendo não é muito legal. Se as vítimas forem objetos, apenas deixe acontecer que o tempo resolve.